æTudo sobre SurfEm busca das ondas gigantes no Chile

Tudo começa na frente do computador. Por incrível que pareça os caçadores do ondas gigantes passam mais tempo olhando para o monitor do que para o mar. Faz parte do ritual ficar ligado nas previsões das ondas ao redor do mundo. Quando um ponto vermelho surge no gráfico é sinal que alguma ondulação gigante pode estar se aproximando dos picos de surfe, e lá partem eles. Normalmente, eles tem no máximo três dias para se preparar,  entre comprar a passagem, arrumar as malas e equipamentos, partir e chegar aos picos mais inóspitos do globo.

No dia 18 de agosto, foi a vez de dois big riders brasileiros se darem bem. As previsões indicavam condições pouco comuns para a costa sul do Chile. Apesar de ser um país que recebe uma boa quantidade de ondulações gigantes, desta vez os gráficos mostravam condições extremas. E lá foram eles. Rodrigo Koxa e Alemão de Maresias partiram em busca das gigantes geladas chilenas.

O plano era surfar na remada uma onda chamada Marmola, uma bancada afastada da costa que quebra um triângulo com mais de 20 pés (6 metros). Mas a ideia não era só deles. Chegando ao local perceberam que havia outros surfistas que também pensaram nisso. O local Ramon Navarro, o havaino Mark Healey e o californiano Greg Long já estavam no pico e toda a mídia estava em cima deles.

Em busca de outros locais menos badalados eles acabaram encontrando uma onda inédita. Com o amigo local Rafael eles foram à um lugar chamado Las Dokas onde um grupo surfava na remada. Mas quando olharam mais ao fundo viram uma onda gigantesca, aterrorizante mas perfeitamente surfavel. Segundo o amigo ela se chamava Punta Dokas, por ficar na ponta da baía. Em condições menores ela quebra em cima das pedras e por isso ninguém nunca havia surfado a onda anteriormente. Mas para os dois brasileiros que estavam em busca do novo, essa era a situação perfeita.

Koxinha e Alemão então optaram por fazer tow-in em Punta Dokas. A sessão rendeu imagens da maior onda surfada em águas chilenas e, conseqüentemente, a maior onda surfada na América latina (analisada por muitos surfistas de peso e nomes do esporte). Alemão colocou Koxa em uma bomba de mais de 30 pés havaianos (10 metros) e de 50 pés de face (17 metros). Alemão também surfou ondas imensas e os dois marcaram a história do surfe de ondas grandes no Chile.

(fonte:ESPN)